EXTREMO NORTE

Terça, 01 Outubro 2019 08:32

UnB faz congresso sobre línguas indígenas

No livro A queda do céu, o xamã yanomami Davi Kopenawa conta que seu povo chama a natureza de Urihi a, a terra-floresta, e que, para eles, os espíritos xapiri são os verdadeiros donos dela, e não os humanos. Na obra, o líder indígena afirma crer que tais entidades conheciam a ecologia muito antes dos não indígenas, embora não empregassem essa designação. Por entender que os indígenas estavam adiantados no entendimento do assunto, ele decidiu, ainda jovem, deixar sua tribo, a fim de fazer suas próprias palavras "saírem do silêncio da floresta" e se propagarem no mundo.

Expressões idiomáticas indígenas como a do povo yanomami serão tema do II Congresso Internacional sobre Línguas Indígenas e Minorizadas (Cirlin), que começa hoje (1º) e vai até o próximo domingo (6), na Universidade de Brasília (UnB). O evento tem reconhecimento da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e reunirá representantes de 29 instituições de ensino e pesquisa. Foram confirmados 200 participantes externos à comunidade da UnB, dos quais 80, aproximadamente, são estrangeiros, oriundos de países como Chile, Bolívia, Nicarágua, Peru, Canadá, Nova Zelândia, Estados Unidos e Espanha.

Por sugestão da Organização das Nações Unidas (ONU), celebra-se, em 2019, o Ano Internacional das Línguas Indígenas. A data ganhou um site alusivo, que explica por que a preservação desses idiomas é importante para a história e o patrimônio cultural de diversos povos e mostra iniciativas que colaboram nesse sentido. 

Um levantamento da ONU indica que, atualmente, existem cerca de 6 a 7 mil línguas no mundo, sendo que 97% da população mundial fala somente 4% delas. Ou seja, um grupo pequeno de pessoas, que totaliza 3% da população global e é, majoritariamente, indígena, mantém vivos 96% de todas as línguas existentes em todo o planeta.

Domínio sobre a terra e a língua materna

A professora Ana Suelly Arruda Câmara Cabral, que organiza o II Cirlin, diz que a interência de outro idioma dentro das tribos aumenta o risco de desaparecimento de algumas línguas autóctones. "Primeiro, eles precisam de uma comunidade de fala e, se precisam de uma comunidade de fala, precisam de um território. Se não tiver a terra indígena, com o povo dentro, não tem língua. E, se eles não podem viver praticando a sua língua decentemente, sem grandes interferências do português, suas línguas não vão sobreviver", argumenta a docente, que coordena o Laboratório de Línguas e Literaturas Indígenas (Lalli), da UnB.

Estudando há mais de 30 anos as línguas indígenas, entre elas as dos troncos linguísticos Tupi e Macro-Jê, Suelly comenta que o que mais a impressiona, ainda hoje, são as reações de pesquisadores indígenas que passam a analisar a fundo suas próprias línguas. "Nessa perspectiva de revitalização e fortalecimento, o que há de mais interessante são os indígenas que vêm fazer mestrado e doutorado com a gente, quando estão aprendendo sobre como funciona a língua deles. Porque eles são falantes plenos, são os verdadeiros conhecedores da língua, mas não têm conhecimento da organização interna delas. É muito importante quando eles começam a descobrir como elas funcionam e começam a se apaixonar e a entender a beleza enorme que é cada língua. E a vontade de lutar pela documentação dessas línguas, para coletar todas as histórias, prestar atenção quanto ao modo como os mais velhos falam, para trazer isso para os seus alunos. Isso, pra mim, é um fator muito importante", diz.

Para ela, a vinda de pesquisadores indígenas para as universidade é um dos caminhos para a continuidade dessas línguas. "Mas esse é um dos caminhos: a formação de pesquisadores e professores indígenas de linguística, que tenham essa consciência da importância da preservação de suas línguas, da documentação e da transmissão mais adequada possível para as próximas gerações, para terem uma política linguística dentro de casa", acrescenta.

Edição: Narjara Carvalho

Rock, blues, reggae e eletrônica fazem parte da  programação completa do 13º Encontro Internacional de Motos de Alta Cilindrada marcado para os dias 11 e 12 de outubro, em Boa Vista. 

Na primeira noite, o evento terá shows com as bandas locais Carta na Manga, Tara Sonora e DK 80; a banda gaúcha Blues da Casa Torta (RS) e o cantor paraense Wanderley Andrade, interpretando clássicos do rock internacional. 

Já na segunda noite, a escalação musical será com Carnívoro, Magnum 44, Bad Carcará, Garden e a DJ May Seven aquecendo o público para Cidade Negra. 

Ingressos

Os ingressos estão à venda no site bilheteriadigital.com e no estande do Roraima Motoclube, no estacionamento do Estádio Canarinho. 

Primeiro lote: R$ 30 (meia) e R$ 80 (inteira) – para o dia 11 de outubro; R$ 60 (meia) e R$ 120 (inteira) – para o dia 12 de outubro. Estudantes, pessoas com deficiência servidores públicos, pessoas com deficiência e militares pagam meia entrada. 

Encontro de Motos

O Encontro de Motos é o único evento de Roraima a trazer bandas renomadas do rock brasileiro. Na lista, nomes como Capital Inicial, Pitty, Detonautas, Biquini Cavadão, CPM 22, RPM, Frejat, Uns e Outros, Plebe Rude, Rodrigo Santos e os Lenhadores, O Rappa, IRA!, Urbana Legion, Titãs, Yahoo, Raimundos e Os Paralamas do Sucesso já estiveram presentes. Além disso, promove a participação de bandas de rock locais.

Mais informações por meio das redes sociais: fb/roraimatoclube e ig: @rrmotoclubeoficial.

Veja a lista de atrações do 13º Encontro com horários:

Sexta-feira, 11 de outubro

20h – abertura dos portões
21h30 – Carta na Manga
22h30 – Tara Sonora
23h30 – DK 80
0h30 – Blues da Casa Torta
1h30 – Wanderley Andrade

Sábado, 12 de outubro

20h – abertura dos portões
20h30 – Carnívoro
21h30 – Magnum 44
22h30 – Bad Carcará
23h30 – Garden
0h30 – DJ May Seven
1h30 – Cidade Negra

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (25), o Projeto de Lei 8322/14, do Senado, que isenta do imposto sobre importação os equipamentos e componentes de geração elétrica de fonte solar. Pela proposta, a isenção somente será aplicada quando não houver similar nacional.

A análise na CCJ ficou restrita aos aspectos constitucionais, jurídicos e de técnica legislativa da matéria. O relator, deputado Nicoletti (PSL-RR), recomendou a aprovação do texto original do PL 8322/14 e a rejeição dos projetos apensados (PLs 5539/13, 7186/14, 157/15 e 3542/15) e do substitutivo da Comissão de Minas e Energia, que ampliou as isenções tributárias.

Tramitação
Por tramitar em caráter conclusivo, a proposta segue para sanção presidencial, a menos que haja pedido para que seja analisada pelo Plenário da Câmara. O texto foi aprovado anteriormente pela Comissão de Finanças e Tributação.

 

Reportagem – Noéli Nobre
Edição – Roberto Seabra

Quinta, 26 Setembro 2019 14:36

Extremo Norte TV - Lago do Robertinho

Com o tema “No Trânsito o Sentido é a Vida”, a Campanha Maio Amarelo 2019, em Roraima, segue com atividades até o dia 24 de maio. Neste fim de semana, haverá Blitz Educativa, às 17 horas deste sábado, 4, na Praça do Centro Cívico; e a I Corrida Detran-RR, com largada às 7h30 desse domingo, 5, em frente à sede do Departamento Estadual de Trânsito.

O tema deste ano propõe estimular condutores, pedestres e passageiros a optarem por um trânsito mais seguro. “A imprudência e a falta de atenção são as principais causas de acidentes no perímetro urbano. Os condutores não só falam ao celular como também teclam. Essa prática tem sido frequente entre condutores de automóveis e também entre os motociclistas”, destacou o diretor-presidente do Detran-RR, Igo Brasil.

Dados dos Comandos de Policiamento da Capital e do Interior, da PMRR (Polícia Militar de Roraima), mostram que foram registrados 3.800 acidentes de trânsito em 2017. Em 2018, houve uma redução de 27,6%,com um total de 2.752. Este ano, no mês de janeiro, também teve uma redução de 38,9%, comparado a janeiro de 2018.

No ano passado, os veículos que mais se envolveram em acidentes foram os automóveis, com 3.244; motocicletas, com 1.905; e caminhonetes, com 960. Em todo o ano de 2018, houve 136 mortes em acidentes de trânsito em Roraima. Comparando o primeiro mês do ano passado e deste ano, houve redução de 9,5% do número de acidentes fatais.

Assim como no ano passado, o MPRR (Ministério Público Estadual), por meio da Promotoria de Saúde, assumiu o compromisso de integrar os órgãos de trânsito e coordenar as ações que serão desenvolvidas durante a campanha. A ação conta, este ano, com a parceria da Polícia Militar, Smtran (Superintendência Municipal de Trânsito), Guarda Civil Municipal e PRF (Polícia Rodoviária Federal), além das secretarias estaduais de Saúde e Educação, instituições de ensino superior, públicas e particulares, e empresas privadas.

A Campanha Maio Amarelo consiste em blitze educativas, palestras, rodas de conversas e até corridas esportivas, com a finalidade de sensibilizar as pessoas sobre a atitude de prudência no trânsito, para garantir segurança e evitar acidentes.

Conforme a programação, que está sujeita a mudanças, as ações prosseguem até o dia 24 de maio.


CONFIRA DATAS, ATIVIDADES E LOCAIS:


Segunda-feira, 6/5

Às 9h, palestra na Escola Ayrton Senna

Terça-feira, 7/5

Às 8h30 e às 14h30, palestra e teatro – na Escola Martinha Thury

Quinta-feira, 9/5

Às 16h, palestra - na Escola de Aplicação
Às 18h blitz educativa – na Escola de Aplicação

Sexta-feira, 10/5

Às 15h, palestra - na Escola Severino Cavalcante
Às 18h, blitz educativa - na Escola Severino Cavalcante

Segunda-feira, 20/5

Às 9h, palestra e teatro – no Sesi (Serviço Social da Indústria)

Terça-feira, 21/5

Às 9h, palestra e teatro – no Sesi

Quarta-feira, 22/5

Às 9h, palestra – na Escola Municipal Vila Jardim

Quinta-feira, 23/5

Às 16h30, palestra para alunos e servidores – Faculdade Atual Estácio de Sá
Às 18h30, blitz educativa – na Faculdade Estácio de Sá

Sexta-feira, 24/5

Às 08h30, teatro – na Defensoria Pública

 
 

Escrito por Jorge Martins

 

O governador Antonio Denarium anunciou na tarde desta terça-feira (10) no Salão Nobre do Palácio Senador Hélio Campos o cronograma com as próximas etapas do concurso da Polícia Militar de Roraima. Trezentas pessoas participaram da cerimônia, entre autoridades, políticos e os aprovados no certame.

A UERR (Universidade Estadual de Roraima) vai lançar na próxima quinta-feira (12) o edital específico de convocação para a realização dos exames médicos, odontológicos e toxicológicos. 

Cumprindo todas as etapas, até o início de abril de 2020 serão convocados novos 400 policiais militares.

A primeira fase do concurso foi aplicada em dezembro de 2018. Com a grave crise financeira Antonio Denarium suspendeu o concurso em janeiro. Em julho o governo revogou a suspensão e agora anunciou as próximas fases.

“Nós assumimos o Estado devastado, tivemos que suspender o concurso. Tive que fazer um remanejamento de R$ 1 milhão da Polícia Militar para a UERR montar o novo cronograma. Esse recurso garante a execução de todas as etapas restantes”, enfatizou o governador.

O comandante da PMRR, coronel Elias Santana, parabenizou os aprovados na primeira fase e pediu para que os concurseiros foquem nas próximas fases que, segundo o comandante, são as mais difíceis.

“No último concurso da PM muitos reprovaram no teste físico, então eu falo pra vocês que se esforcem e estejam preparados para se tornarem um policial militar, que para mim é uma honra”, frisou.

Estiveram presentes no evento os deputados estaduais Renato Silva, Aurelina Medeiros, Soldado Sampaio, Gabriel Picanço e Jeferson Alves. Renato Silva parabenizou o governador pela sensibilidade que tratou o assunto, e disse que essa conquista é fruto de um trabalho conjunto entre o poder Legislativo e o Executivo estadual.

Escrito por EDUMARJUNIOR

 

O governador Wellington Dias recebeu, nesta terça (3), a piauiense Lorena Dayse, vice-campeã da última edição do programa MasterChef Brasil, principal reality showculinário da televisão brasileira. Lorena representou o Piauí e levou o nome e a história do estado para todo o Brasil, por meio dos seus pratos, unindo tradição a inovação.

“A Lorena é uma pessoa muito simpática e apaixonada pelo Piauí que conseguiu fazer uma bonita trajetória no programa e nos orgulhar muito. Tenho certeza de que cada piauiense torceu e vibrou a cada conquista. A nossa culinária tem um grande potencial e o resultado não poderia ser menos do que o sucesso. É a nossa campeã”, disse o governador.

A vice-campeã contou sobre a experiência de participar do reality e a responsabilidade de representar o Piauí. “A maioria das pessoas que vai para esse tipo de competição está por simesma ou na busca de uma culinária que a represente. Eu já entrei sabendo o que eu ia fazer lá, que não queria fazer aquilo só por mim, mas por muitos piauienses. Acho que fui pelo caminho certo e estou colhendo o fruto disso, pois em todos os lugares as pessoas me cumprimentam com muita alegria e se dizem orgulhosas. Muita gente se sentiu representada e essa é a maior vitória”, afirmou.

Lorena relembrou ainda a disputa final, na qual os finalistas precisaram fazer um menu completo que representasse quem eles são, apresentando pratos que reflitam suas histórias e preferências, mostrando ao Brasil o que consideram o melhor de sua cozinha. Para o desafio, a chef se inspirou na história e belezas naturais do Piauí, apresentando pratos que representam o mar, a terra e as peculiaridades do estado.

O Estado de Roraima está entre as nove unidades da Federação que conseguiram reduzir gastos em 2019. Os dados são do Relatório Resumido de Execução Orçamentária, divulgado nesta segunda-feira, 19, pela STN (Secretaria Nacional do Tesouro). Os outros Estados são Acre, Alagoas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Piauí e Tocantins.

Os dados são comparados ao mesmo período do ano de 2018. De janeiro a junho de 2018 os gastos do Governo de Roraima, de acordo com o Fiplan (Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças do Estado), foram de R$ 588.724.953,51 e no mesmo período, porém em 2019, foi R$ 544.496.831,18. Correspondente ao montante empenhado pelo governo, a economia foi de R$ 44.228.122,33, aproximadamente 7,3%.

O Governo de Roraima decretou calamidade financeira por 180 dias, no dia 28 de dezembro de 2018, com Antonio Denarium ainda na condição de Interventor Federal. O decreto foi prorrogado no dia 26 de junho, por mais 180 dias. Neste período ficam vedados os gastos com diárias, viagens, horas extras e concessão de gratificações.

A medida possibilitou que a folha de pagamento dos servidores seja mantida em dia e paga dentro do mês, como ocorreu em julho, quando todos os servidores da administração direta e indireta receberam no dia 26.

Além disso, o duodécimo dos Poderes e os repasses referentes a ICMS (Imposto de Circulação sobre Mercadorias e Serviços) e IPVA (Imposto sobre propriedade de veículo automotor) para as prefeituras estão sendo feitos mensalmente, o que nos últimos três anos ocorria sempre com atrasos e ações na justiça. O Estado também está reavaliando contratos e diminuindo custos excessivos.

"Estamos fazendo uma gestão séria, livre de corrupção, austera para que o governo tenha a saúde financeira recuperada e possa, ao invés de pagar contas, investir em melhorias para a população", acrescentou o governador Antonio Denarium.

O titular da Sefaz (Secretaria de Fazenda), Marco Alves, explicou o que está sendo feito para chegar ao equilíbrio financeiro. “O Estado passa por um momento de grande austeridade. Estamos em calamidade financeira, as receitas hoje não são suficientes para cobrir todas as despesas, por isso, o Estado está tentando manter esse equilíbrio e só faz despesa se tiver receita para quitá-las”, relatou.

Sobre o pagamento de diárias, o secretário informou que serão pagas assim que o Estado tiver condições. “Não há corte nas diárias, o que existe nesse momento é uma suspensão de seus pagamentos em função da calamidade financeira e dos poucos recursos que o Estado possui, mas elas serão pagas assim que o Estado tiver receita suficiente para isso”, complementou.

O governador Antonio Denarium assinou na tarde desta segunda-feira, 19, o Decreto de remanejamento de recursos da Polícia Militar para a UERR (Universidade Estadual de Roraima) na ordem de R$ 1 milhão.

Os recursos possibilitarão dar andamento à todas as fases restantes do concurso da PM.  A verba é de emenda parlamentar de bancada que foi destinada para a PMRR (Polícia Militar de Roraima) para a realização do concurso. Mas para que isso ocorresse, o recurso teve que ser remanejado para a organizadora do certame.

“Com o Decreto, a UERR vai dar andamento ao concurso. Isso foi um compromisso do governo com os concurseiros e que agora é firmado e cumprido, com responsabilidade”, disse Denarium.

O secretário Adjunto de Planejamento e Desenvolvimento, Diego Prandino Alves, explica que a emenda deveria ser alocada na UERR, mas originariamente foi alocada na PM e após a autorização da comissão específica na Assembleia Legislativa, a Seplan  [Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento] pôde iniciar os trâmites para o remanejamento.

“Agora o Decreto segue para numeração e até esta terça-feira será publicado”, disse o secretário.

O comandante da PMRR, coronel Elias Santana, disse que a próxima etapa do concurso é composta por duas fases: médica e física e, que haverá mais duas etapas antes do curso de formação.

Ele destacou ainda que resolver esse entrave foi muito importante para a continuidade do concurso.

“O mais importante é que esse primeiro passo foi dado. Era uma dificuldade destravar essa emenda que foi concedida e passar pro orçamento da UERR. Agora a Universidade Estadual tem os instrumentos legais e financeiros para dar prosseguimento, o que é uma tranquilidade para os concurseiros, porque vislumbram de uma forma concreta a possibilidade do concurso ser prosseguido”, enfatizou.

Concurso da Polícia Civil e Agentes Penitenciários

O concurso da Polícia Civil foi cancelado em janeiro de 2019. Após sete meses, Denarium anunciou que com a diminuição de gastos (Roraima é um dos nove Estados que diminuiu gastos, segundo levantamento do Tesouro Nacional), será possível reeditar o concurso para a contratação de policiais civis. Ele anunciou ainda que um novo certame será feito para a contratação de agentes penitenciários.

O secretário Adjunto de Planejamento e Desenvolvimento, Diego Prandino Alves, explicou que diferente do concurso que foi cancelado, o novo certame será feito dentro dos limites orçamentário e financeiro do Estado.

“Dentro dos próximos anos será possível contratar um número menor de policiais civis do que havia sido planejado antes. Assim vamos assegurar o pagamento, porque não adianta contratar e não conseguir efetuar o pagamento dos servidores. O dimensionamento das vagas que vão ser destinadas aos agentes penitenciários segue a mesma regra. Obviamente que nós observamos a necessidade de contratação de novos agentes, mas a contratação será feita com responsabilidade, conforme a capacidade financeira do Estado”, afirmou.

DEVOLUÇÃO DE TAXAS - Sobre a devolução das inscrições dos concorrentes que se inscreveram no concurso que foi cancelado, o delegado-geral da Polícia Civil Herbert de Amorim disse que o calendário está sendo elaborado. Ele enfatizou que não é tão simples fazer essa devolução.

“Para que possa ser devolvido é preciso pagar uma quantia referente à taxa bancária ou de malote fiscal que é de R$ 13 por candidato, isso com a quantidade de inscritos de aproximadamente 30 mil, eu tenho um valor expressivo de aproximadamente R$ 400 mil, onde o governador tinha que autorizar essa despesa, que não estava prevista no orçamento e ele nos deu essa autorização”, esclareceu.

MAIS CONCURSOS - O governador anunciou que estão sendo estudados novos concursos para a Sesau (Secretaria de Saúde) e Seed (Secretaria de Educação). Denarium destacou que essas ações estão sendo possíveis devido ao planejamento e a correta aplicação dos recursos públicos.

“Estamos atendendo à legislação e todas as determinações com transparência e seriedade, aplicando corretamente o dinheiro público porque o meu compromisso é com a população”, reforçou.

Escrito por EDUMAR JUNIOR